Esforço de todos, aeroporto de Dourados entra em fase decisiva

Em dezembro de 2017, a prefeita Delia Razuk assinou, em Brasília, o TED que autoriza o início das obras​ – Divulgação

“Por uma questão de justiça, três nomes devem ser destacados nessa conquista que Dourados está para poder celebrar com orgulho, a partir das obras de alargamento e recapeamento da pista, ampliação da estação de passageiros e da condição de aeroporto de grande porte para o Brasil: José Elias Moreira, Murilo Zauith e o general Lourenço Willian da Silva Ribeiro Pinho”.

Com essa afirmação, o professor universitário, piloto da aviação civil, membro da diretoria do Aeroclube de Dourados e ainda da Associação Comercial e Empresarial de Dourados, Domingos Renato Ventorini, definiu a trajetória que remonta há quase 40 anos para que o Município possa oferecer uma infraestrutura segura e eficiente no setor do transporte aéreo nacional.

Domingos lembra que ainda na década de 80, na gestão do então prefeito José Elias, Dourados foi contemplada com decreto do então presidente da República, João Batista de Oliveira Figueiredo, anunciando a reforma do velho e tímido aeroporto que, ainda assim, era um dos cartões postais da cidade, à época já considerada celeiro da Grande Dourados, pelo expressivo volume da produção agrícola.

RETOMADA

Depois dessa movimentação, lembra o dirigente do Aeroclube, somente a partir de 2006, mais de 20 anos depois do pontapé inicial e há cerca de 12 anos, quando Dourados tinha como vice-governador o ex-prefeito Murilo Zauith, é que o aeroporto municipal ganhou a reforma do balizamento, da cerca operacional, o PAPI (sistema de iluminação nas cabeceiras da pista) e a nova casa dos bombeiros.

Em seguida, como prefeito, Murilo viabilizou as novas salas de embarque e a sala rádio e a estação meteorológica e, em 2012, após mobilização dos usuários do local, foram iniciados estudos para implantação do RNAV, sistema de aproximação por instrumentos, inicialmente restrito a aeronaves com até 50 passageiros e depois, com novos estudos cartográficos, a partir de maio de 2017 o aeroporto passou a operar por instrumentos para voos das aeronaves modelo ATR72.

Finalmente, em meados de 2016, com as articulações do Aeroclube junto ao prefeito e ao comando do Exército, a sensibilidade do general Matsuda, que comandava a Brigada, motivou o sucessor dele, general Willian, piloto de carreira e que incorporou o espírito da sociedade, para encabeçar projeto de reforma e licenciamento a novos empreendimentos nessa área.

ESFORÇO COLETIVO

A prefeita Délia Razuk, que substituiu Murilo no comando da cidade, encampou a tarefa e se valeu da experiência acumulada, os conhecimentos e a persistência do ex-prefeito José Elias Moreira, a quem designou secretário de Planejamento na primeira parte do mandato, para dar sequência nessa articulação para que o projeto de modernização do aeroporto de Dourados pudesse, enfim, sair do papel.

O TED (Termo de Execução Descentralizada), assinado em dezembro do ano passado em Brasília, vai permitir a execução das benfeitorias reclamadas a partir do investimento de cerca de R$ 49 milhões, alocados do PIL (Programa de Investimentos em Logística), que vai contemplar obras de ampliação e restauração da pista de pouso e decolagem, execução de nova pista de taxiway e pátio de aeronaves, áreas de escape, faixas preparada e de pistas, implantação do estacionamento de veículos, vias de acesso e terraplanagem necessária para edificações e serviços complementares para adequação de infraestrutura necessária para a operação do aeroporto, além de projetos de obras complementares.

“Sem dúvida, é o coroamento de uma luta de gerações, um esforço coletivo em que o que se procurou, sempre, foi colocar Dourados em primeiro lugar”, avalia o ex-prefeito José Elias.

Publicado em: 09/05/2018 as 8:46 horas
Desenvolvido pelo Depto de Tecnologia da Informação - Secretaria Municipal de Administração - Prefeitura de Dourados - 2018