Prefeitura apoia filme que será gravado em Dourados

A produtora Marcela da Costa foi recebida pela prefeita Délia Razuk na manhã desta quinta-feira – A. Frota

Na manhã desta quinta-feira (09), a prefeita Délia Razuk recebeu a diretora de produção do filme “A Pele Morta”, Marcela da Costa e conheceu o projeto que terá cenas gravadas em Dourados e região. O roteiro do roadmovie foi premiado pela Ancine (Agência Nacional do Cinema) e o município foi selecionado para as gravações pela equipe responsável no intuito de retratar as fronteiras do país e a multinacionalidade.

A diretora de produção representou a equipe na visita à Prefeitura e apresentou o longa que terá uma base no município. A prefeita Délia Razuk sinalizou apoio dentro do possível para a logística do roadmovie no município.

Além de Dourados, “A Pele Morta”, terá gravações em Ponta Porã, no Paraguai e nas proximidades da Bolívia.

“Vamos ter cenas no centro de Dourados, bairros e na aldeia indígena. O projeto teve início em 2013, foi premiado e foram feitas longas pesquisas e visitas aqui na região. O projeto foi aprovado pela Ancine em 2015 e as produções por aqui têm início em agosto e setembro”, disse a diretora.

Marcela Costa falou do acolhimento que a equipe tem obtido no município e da importância dessa sensibilidade de apoio a ações culturais. Ela ressaltou que propostas com tal grandiosidade destacam também o local de produção.

“Fui super bem recebida pela prefeita. Foi uma satisfação apresentar a ela o roadmovie e agora contamos com apoio para montar nossa base de produção. É essencial esse reconhecimento e apoio do município, pois com um projeto tão grandioso estamos também divulgando a cidade e esse acolhimento é muito importante para que tudo seja realizado de uma forma plena”, disse.

A equipe “A Pele Morta” realizará uma seleção de elenco às 16 horas deste sábado (11), no Centro de Convenções. Conforme a diretora, podem participar atores e não atores e serão selecionados 30 pessoas para participarem do longa.

O roadmovie tem direção de Denise Moraes e Bruno Torres.

A produtora Marcela da Costa foi recebida pela prefeita Délia Razuk na manhã desta quinta-feira – A. Frota

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SINOPSE
“A PELE MORTA” é a trajetória de personagens em constante reinvenção. A bordo de um antigo caminhão de mudanças, um drama cinematográfico em plena estrada, onde a paisagem natural e social são tão personagens como os indivíduos que a atravessam: três almas inquietas que buscam romper com seus destinos, do Brasil ao Paraguai e à Bolívia, pelas veias abertas do coração da América do Sul.
Justo é um motorista uruguaio que acaba de ser despejado da oficina mecânica que ocupou durante décadas na fronteira brasileira. Decidido a buscar frete no interior do Paraguai, ele leva consigo o borracheiro Saulo, um jovem guarani-kaiowá da região de Dourados e que tem na força de sua rima o grito de seus irmãos. Quando conseguem serviço transportando uma mudança na direção do Chaco paraguaio, fronteira com a Bolívia, eles dão carona a Rosario, uma jovem paraguaia com a mochila nas costas, disposição para o trabalho e uma carta recebida da irmã.
Aos poucos, a cumplicidade entre eles enche de vida a boléia do veículo, abrindo estradas para a esperança e para tantos destinos possíveis, seja seguindo sempre em frente, seja regressando renovado à luta. Falado em português, espanhol e guarani, o filme é uma viagem pelas fronteiras invisíveis da América Latina, uma terra que se move, que pulsa e que levanta a voz.

Publicado em: 09/08/2018 as 12:46 horas
Desenvolvido pelo Depto de Tecnologia da Informação - Secretaria Municipal de Administração - Prefeitura de Dourados - 2018