Há uma semana do fim da campanha, Saúde convoca grupos de risco para vacinação

Dos demais grupos ainda preocupa a falta de procura pela vacinação de crianças de até 5 anos, com 7.034 doses aplicadas de um total de 14.896 – A.Frota

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza entra na reta final na próxima semana e o Departamento de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, divulgou que a cobertura vacinal atingiu 53% até esta sexta-feira (25), com a aplicação de 32.317 das 60.885 previstas para os grupos de risco estipulados no escalonamento até aqui. Ainda foram vacinadas 3.562 pessoas no grupo das comorbidades, ou seja, aqueles indivíduos que apresentam alguma patologia comprovada.

Segundo Edvan Marcelo Morais Marques, diretor do departamento, em mais uma semana outras 11 mil pessoas foram vacinadas, mas ainda falta bastante gente. “Convocamos as pessoas que compõem os grupos de risco a procurarem as unidades de saúde para vacinação. Isto contribui muito com o combate à esta doença”, disse. Até o dia 18, semana passada, eram 21 mil doses aplicadas.

O grupo que está perto de cumprir a totalidade é o de professores, com 91% de cobertura. São 2.538 doses aplicadas de um total de 2.758 previstas. Em seguida, está o grupo de profissionais da saúde, com 73,4% de cobertura. São 5.539 doses aplicadas de um total de 7.543 previstas. O grupo dos idosos também já passou de 70% de cobertura, tendo 12.983 doses aplicadas para um total de 18.231 previstas.

Dos demais grupos ainda preocupa a falta de procura pela vacinação de crianças de até 5 anos, com 7.034 doses aplicadas de um total de 14.896, representando apenas 47% de cobertura. “Junto aos idosos, crianças são os grupos que mais preocupam, pela vulnerabilidade. No entanto, obviamente dependem da atuação dos pais para os levarem. Então pedimos que as pessoas procurem vacinar os filhos”, disse Edvan.

A população indígena, que entrou no escalonamento na semana passada, também teve poucas pessoas vacinadas, no grupo previsto. São 3.099 doses aplicadas para um total de 14.027. Gestantes e puérperas já tiveram imunizadas 53% e 64% das pessoas previstas no levantamento.

Edvan Marcelo ressalta que a vacinação não pode ser encarada como privilégio deste ou daquele cidadão por conta da existência de grupos. Ele explica que os grupos de risco estipulados, quando vacinados, são responsáveis por uma estratégia que anula a circulação do vírus entre pessoas mais suscetíveis e torna o combate à doença mais eficaz. “O que deve ocorrer é o incentivo aos grupos de risco. As pessoas querem tomar a vacina, mas se incentivarem quem realmente deve tomar, o efeito é maior na sociedade”, disse.

A vacinação acontece das 7h as 11h e das 13h as 17h nos postos de saúde. Qualquer horário excedente terá prévia divulgação. A disponibilidade de vacinas está normatizada. A vacinação será com uma dose de vacina trivalente, com antígenos para os tipos Influenza A H1N1 e H3N2 e Influenza tipo B, e será feita exclusivamente nos postos de saúde.

Para receber a dose, professores, funcionários do sistema prisional e funcionários da saúde precisam apresentar documento que comprove a condição. Doentes crônicos precisam de prescrição médica com o motivo da indicação. Demais grupos precisam apenas de documento de identificação, mas recorrer a unidade de saúde a que está vinculado.

Desenvolvido pelo Depto de Tecnologia da Informação - Secretaria Municipal de Administração - Prefeitura de Dourados - 2018